Será que o futuro do trabalho está condicionado a ficarmos 2 horas no trânsito todos os dias, trancafiados em um escritório com nossos fones de ouvido, fazendo reuniões remotas o tempo todo e fazendo prestação de contas para um único empregador?
Isso me parece MUITO TENEBROSO! Não te parece?

137 anos fazendo a mesma coisa
Em 1886 tivemos a famosa Revolta de Haymarket em prol da jornada de 8 horas (até então trabalhadores tinham uma jornada de 10 horas diárias e 60 horas semanais).
Graças a estes trabalhadores, tivemos uma bela de uma conquista (as famosas 8 horas diárias de trabalho).
O problema é que já se passaram 137 anos e continuamos apegados a alguns paradigmas. Quer ver?
Trabalho presencial (ou “maquiado de híbrido” / ex: você precisa morar perto da “firma” e esperamos você aqui no escritório 3x por semana / isso não é trabalho híbrido ou remoto);
Ponto e Jornada de 8 horas (estamos ainda totalmente apegados ao tempo / e ainda poucas exceções de trabalhos já se submetem à entregas ou resultados);
Trabalho na modalidade “full-time” (ou seja, você é propriedade de uma organização e deve entregar seus talentos e skills para uma única empresa ou fonte empregadora / que ultimamente temos visto não ter muita fidelidade com estes mesmos fiéis trabalhadores quando as coisas apertam).

O futuro do trabalho é melhor que isso
Existem infinitos “papers” de consultorias globais falando das principais tendências sobre o “Futuro do Trabalho”. Não queremos vir aqui e chover no molhado.
Afinal, o futuro já está acontecendo. O futuro já é HOJE!
Me arriscarei aqui a fazer algumas previsões “não-convencionais”. Vamos lá?

1/ O trabalho servirá a vida (e não o contrário)
A COVID-19 (maior pandemia dos últimos anos) nos levou pessoas queridas, nos fez ressignificar o que é sucesso e principalmente: Nos mostrou que a vida pode ser mais significativa do que vivermos no piloto automático trabalhando em algo que não gostamos e abrindo mão daquilo que é verdadeiramente importante para nós (saúde, família, amigos, etc).
As pesquisas não mentem (A SurveyMonkey trouxe no ano passado que 9 em 10 pessoas estão insatisfeitas com os seus trabalhos atuais).
Por muito tempo a tônica foi o contrário. E isso está mudando (thank God)!

2/ IA e Automação
Por mais que queiram maquiar a situação e dizer que não vai mudar,… Venho aqui fazer uma previsão não muito animadora:
Muitas pessoas (muitas mesmo) serão colocadas na rua (simplesmente porque as suas funções de trabalho perderão utilidade).
Se o seu trabalho é repetir coisas processuais e envolve uma baixa complexidade intelectual,… Sinto muito lhe dizer: A sua capacidade de gerar valor para organizações está sendo substituída em tempo recorde!

Aqui vale um disclaimer:
A IA não substituirá pessoas. Pessoas que dominam a IA (Operadores de IA) substituirão pessoas que não dominam IA! Simples assim!
Nós infalivelmente faremos mais com menos (Graças às IAs e às Automações)!

3/ Fim da jornada de 8 horas
Inevitavelmente esse modelo de 137 anos atrás (desde 1886) está fadado a acabar.
Existem empresas e países testando a semana de 4 dias, outros estão eliminando o registro de horas (ponto) e outros estão orientando o seu modelo de gestão e o baseando na entrega de valor e de resultados.
Fato é que nestes 137 anos tivemos evoluções incríveis em todas as áreas (tecnologia, medicina, construção civil, etc). O modelo de trabalho evoluiu pouco (AINDA).
Precisou que uma pandemia viesse para chacoalhar tudo!
O ponto é:
Depois dessa hecatombe chamada COVID-19 as coisas vão avançar mais rápido (quer você queira ou não).

4/ Especialização e descentralização do trabalho
Não importa se você está na camada operacional, tática ou estratégica,… Você dificilmente irá atender uma única empresa com os seus dons, talentos e skills acumuladas durante a vida.
Quer ver exemplos?
Exemplo 1) Você se torna especialista em SEO para Lojas Virtuais. Qual a razão de passar 168 horas mensais atendendo uma única corporação? Por que não escalar o seu alcance (e consequentemente seus ganhos) atendendo múltiplas operações que precisem dos seus talentos?
Exemplo 2) Você é uma pessoa Tech Lead e se especializou em liderar times de desenvolvimento de software em empresas de “Supply Chain”. Por que não desenvolver metodologias de controle e governança dos seus times em múltiplas organizações?
Exemplo 3) Você é uma pessoa líder de times de Receita e atende startups SaaS construindo máquinas de receita. Por que não liderar múltiplas organizações que vivem as mesmas dores? (e com isso diluindo riscos de layoffs, aumentando ganhos e podendo ter o poder de escolher apenas empresas que possuam valores condizentes com os seus).

5/ Surgimento das DAOs
As DAOs (Descentralizated Autonomous Organizations / Organizações autonômas descentralizadas) surgirão e certamente criarão modelos de trabalho não convencionais.
E isso permitirá uma flexibilidade jamais vista anteriormente:
“A maneira tradicional de ganhar dinheiro era “trabalhar para ganhar”, mas o futuro da renda é “x-para-ganhar” –jogar para ganhar, aprender para ganhar, criar para aprender e trabalhar para ganhar” (Andreesen Horowitz)
Nos desprenderemos desse modelo de “trabalhar para ganhar” e habilitaremos infinitas possibilidades para os agentes pertencentes dessa grande rede descentralizada (empresas, especialistas, criadores, agentes financeiros, etc).

Enfim, existe MUITA coisa em vista! A pergunta que fica é:
Você está preparado/a para as mudanças que se aproximam? 😎

Quer fazer parte da comunidade Opental?

Com o sucesso da EaaS (by Opental), levamos agora o modelo de escala em Open Talent também para profissionais de nível tático e operacional, construindo uma rede cada vez mais conectada de conhecimento e oportunidade.

A associação é gratuita e você será muito bem recebido por quem se interessa e já vive essa realidade.

Acesse: https://bit.ly/opental_community

Edição escrita por Thiago Lisboa (COO & Co-fundador da Opental / EaaS ).